Selecione a página

Nestor Goulart Reis entrará em greve

Hospital Estadual de Américo está funcionando normalmente

Célia Pires
Desde o dia 1 de maio que os trabalhadores públicos no Estado de São Paulo decretaram greve por tempo indeterminado nas unidades e hospitais estaduaisNa região de Araraquara, de acordo com o diretor da Subsede Sindsaúde/SP em Araraquara, Jorge Alexandre B. de Senna, também já há unidades paralisadas.Segundo comunicado enviado pelos sindicalistas, a data base é de 1º de março e não houve nenhum reajuste salarial por parte do governo.Entre as reivindicações mais importantes estão a reposição de 32,2% das perdas salariais de 2008 a 2012; vale refeição de R$26,22 e prêmio de incentivo igual para todos e transparência no uso da verba do FundesNesta última sexta-feira o sindicalista de Araraquara estiveram em São Paulo, mas não ocorreu nenhuma negociação.De acordo com informações do sindicato, nesta segunda-feira, 20, o Hospital Nestor Goulart Reis inicia greve.Mas que fique bem claro que o Hospital Estadual Américo Brasiliense não entrará em greve e nem haverá paralisação no atendimento da Instituição. “O Hospital Nestor Goulart Reis, é quem deverá aderir à greve na próxima segunda-feira (20), e não Hospital Estadual de Américo Brasiliense”, ressalta a assessoria.Ainda segundo a assessoria de imprensa, o Hospital Estadual Américo Brasiliense (HEAB) e o AME Américo Brasiliense foram inaugurados em julho de 2008 e, nasceu de uma ampla reforma na estrutura física e modernização de equipamentos no Hospital Nestor Goulart Reis que foi inaugurado no ano de 1958 para internação de pacientes portadores de tuberculose.Entre os anos de 2003 e 2004 houve uma decisão da Secretaria de Estado da Saúde de ampla reforma da área física e atualização tecnológica do antigo hospital. Do ponto de vista estrutural, o hospital tem forma da letra H, e está dividido em 11 blocos de 02 ou 03 pavimentos. Uma das “pernas” do H continuou sendo o Hospital Nestor Goulart Reis e manteve a sua finalidade de atendimento a pacientes portadores de tuberculose, com administração direta da secretária de estado de São Paulo.As demais áreas do prédio se tornaram o Hospital Estadual Américo Brasiliense (HEAB) e o Ambulatório Médico de Especialidades Américo Brasiliense que hoje são gerenciados pelo Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto-USP/FAEPA

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade