Selecione a página

Moradores do Jardim Valle Verde pedem novos horários e itinerários à Paraty

Usuários reclamam da distância dos pontos e longa espera pelos ônibus

Suze Timpani
Alguns problemas causados pela demora dos ônibus que atendem a região do bairro Valle Verde têm gerado reclamações de usuários.
Uma das reclamantes é Leila Freitas, moradora do bairro, que diz que desde agosto passado tenta acertar a situação conversando com a Viação Paraty, responsável pelo trajeto das linhas, mas até agora o problema não foi solucionado. Ela informa que os atrasos são constantes e com a entrega da segunda etapa do Valle Verde, tem ficado maior, cerca de 30 a 40 minutos a mais e nos finais de semana os ônibus passam a cada duas horas. Segundo Leila, o primeiro horário no bairro é às 6h e o último às 22h, no terminal. “Quem perde o último ônibus tem que fazer o caminho de volta para casa a pé”.
Ela também diz que costuma questionar os fiscais que ficam no Terminal quanto aos horários não cumpridos, mas eles afirmam que está tudo dentro da ordem, mas Leila afirma que os motoristas não têm sequer uma tabela de horário.
Patrícia Samuel, que também é moradora do bairro, diz que há motoristas perdidos, pois não sabem sequer o itinerário a seguir, as vezes mudando o percurso dos ônibus e deixando usuários para trás, e que muitos têm saído do bairro para pegar o transporte no Selmi Dei, onde o fluxo de ônibus é maior.
“Se a Paraty não tem capacidade para organizar um bairro, imagine quando começar a administrar o transporte na cidade”, afirmou Leila.
Paraty
Para Alexandre Carvalho Ferreira, gerente operacional da Paraty, tais reclamações não procedem, pois assim que foi entregue a segunda etapa do bairro houve um ajuste no número de ônibus e nos horários, que antes era de meia em meia hora e passou a ser de vinte em vinte minutos, com três ônibus e um extra. Fora dos horários de pico o transporte é alternado para 40 minutos.
Alexandre informou que após a entrega das 560 casas que fazem parte da terceira etapa do bairro, um novo ajuste será feito, inclusive mudando o primeiro horário para as 5h30.
Ele diz ainda que a Paraty tem um padrão de itinerário e que se algo fugir do normal, os usuários devem anotar o prefixo do carro, o horário e o lugar, para que as reclamações sejam feitas e a empresa possa corrigir e tomar as devidas providências.
Ele informou ainda que o ponto final do Selmi Dei, onde as pessoas costumam aguardar um maior fluxo de carros, fica a apenas 2 pontos do Valle Verde. Pede ainda, um pouco de paciência aos usuários para que todas as adequações corram dentro da normalidade.
“Nossa preocupação é atender bem a população, nossos pontos estão a 100 metros um do outro e quando foi entregue o novo bairro, já estavam todos sinalizados, não podemos fazer zig zag, e já estamos levantando uma estatística para sabermos como os carros saem do bairro, para que, se necessário, possíveis mudanças sejam feitas”, afirmou o gerente.
Agência reguladora CTA
O presidente da Companhia Troléibus Araraquara (CTA) Silvio Prada, avisa que todas as reclamações podem ser dirigidas a empresa, pois já há uma reclamação do bairro Valle Verde pautada para a próxima reunião, entre CTA e Paraty. A CTA que também agia como agência reguladora anteriormente, continuará seu trabalho. Tão logo o contrato de terceirização das linhas esteja assinado, estará discutindo com a Paraty e a Empresa Cruz sobre os novos bairros para que as adequações e soluções sejam tomadas o mais breve possível, finalizou Prada.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade