Selecione a página

Fundação Itesp lamenta que greve tenha sido decretada

Órgão também reitera sua disposição em dialogar com os servidores

Da redação
Ontem o jornal O Imparcial veiculou uma matéria sobre a greve dos funcionários da Fundação ITESP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania (SJDC), e responsável pelo planejamento e execução das políticas agrária e fundiária do Estado de São Paulo e pelo reconhecimento das Comunidades Remanescentes de Quilombos. De acordo com o sindicato, os funcionários da ITESP entraram em greve por estarem decepcionados com o descaso do governador Geraldo Alckmin com a categoria, bem como a negação da reposição de 6,65% dos últimos 12 meses,na data base de Março (garantia Constitucional); a progressão bianual, com um PCCS já capenga, que não é aplicado com justiça!; a valorização do tíquete refeição, em equilíbrio com os demais órgãos da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, à qual são vinculados, pois de acordo com os sindicalistas o tíquete é praticamente a metade do valor dos demais órgãos e também a negação da licença maternidade de 180 dias.
Em Araraquara são onze os funcionários em greve. Nesta sexta-feira o diálogo com o governo deverá ser retomado.
O que diz a Fundação sobre a questão
A Fundação Itesp reconhece e valoriza permanentemente a categoria. Ao longo dos últimos cinco anos, os servidores do Itesp tiveram reajuste de 51,45 %; 24,72 % acima da inflação. No período foi aprovado o novo Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) que resultou na promoção de mais de 15% dos servidores, que tiveram seus salários reajustados em até 15%. Também foi ampliado o quadro de funcionários com a contratação de 134 servidores. A Fundação Itesp lamenta que a greve tenha sido decretada e reitera sua disposição em dialogar com os servidores.
Sobre a licença maternidade, o tratamento jurídico destinado ao servidor estatutário não se aplica ao servidor celetista de forma automática, caso do Itesp. A Lei Estadual nº 10.207/1999, que criou a Fundação Itesp, determina que os servidores sejam admitidos sob regime da legislação trabalhista. Contudo, o Itesp tem buscado os órgãos responsáveis para pedir a extensão do benefício.
A fundação acrescenta ainda que para melhorar o atendimento ao público e assegurar o bem-estar dos servidores, a sede, em São Paulo, e os escritórios, no interior, foram reformados. A instituição também locou novos imóveis. O parque tecnológico foi modernizado e novos mobiliários foram adquiridos. A frota de veículos locados aumentou e para conter gastos, o número de carros próprios diminuiu.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade