Selecione a página

Demora no atendimento da UPA Central gera caos

Fechamento da UPA da Vila Xavier canalizou todos os atendimentos para unidade, que não suportou a demanda

José Augusto Chrispim

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) central viveu um verdadeiro caos nessa sexta-feira (15) devido à falta de médicos que gerou filas de espera no atendimento de até 5 horas.
Depois de horas de espera por atendimento, pacientes pediram a presença da imprensa na unidade médica para registrar o descaso com que estavam sendo tratados pelos funcionários e denunciar a falta de médicos.
A ajudante de cozinha, Adriana Nunes, de 44 anos, relatou à reportagem que chegou à UPA por volta de 15h, sentido muitas dores nas costas e com febre de 38,5º, mas até as 19h30 ainda não havia sido atendida. “Me falaram apenas para sentar e esperar, isso é um desrespeito com o ser humano muito grande”, relatou Adriana.
Em um caso ainda mais grave, uma menina de apenas 2 anos, que havia engolido um caco de vidro, esperou por atendimento por 6 horas sem ao menos, passar por um pré-atendimento. “Estou aqui há 6 horas com minha filha e ela não foi atendida, isso é um absurdo”, desabafou Denise, de 18 anos, mãe da criança.

Sismar
Os representantes do Sismar (Sindicato dos Servidores Municipais de Araraquara e Região) acompanharam a celeuma que se formou no local e classificaram como uma tremenda irresponsabilidade do prefeito. “Como ele quer construir uma UPA no Selmi Dei, se não consegue manter a da Vila Xavier?”, disse Marcos Zamboni.

Falta de ambulâncias
Outro problema vivido na área da saúde nessa sexta-feira foi a falta de ambulâncias do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) que, segundo um socorrista, havia apenas duas viaturas atendendo as ocorrências, pois outras quatro estavam paradas por falta de equipes para operá-las.
O problema seria causado por conta das horas extras excedentes, ou seja, que ultrapassam a carga horária de trabalho permitida por lei, que iriam para um banco de horas, causando insatisfação nos funcionários, pois entendem que o sistema seria o mesmo que trabalhar de graça.

Resgate feito pela PM
Por volta de 20h05, uma viatura da Polícia Militar chegou à UPA conduzindo uma criança recém nascida, de apenas 15 dias de vida, que havia engasgado com leite e precisava de atendimento. A PM realizou o atendimento, pois não havia ambulância do SAMU disponível no momento e a criança necessitava de atendimento urgente.
Como os policiais militares possuem curso de primeiros socorros, a criança foi salva.
O sargento PM Euclides enfatizou que as mães devem se informar sobre as técnicas de tapotagem que podem salvar a vida de seus filhos.

Prefeitura
A assessora de imprensa da prefeitura, Fernanda Cavicchia, foi até a UPA e informou que os motivos da demora no atendimento dos pacientes seriam apurados e, se fosse constatada a falta de comprometimento de algum médico, o mesmo seria penalizado.
Por volta de 20h, quatro médicos passaram a atender os pacientes na unidade.
Ainda de acordo com a assessoria, neste sábado (16) cinco médicos atenderão na UPA central, dois na UPA da Vila Xavier e outros três no SAMU.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade