Selecione a página

Comissão de vereadores lista 18 dúvidas sobre Central de videmonitoramento

Comissão de vereadores lista 18 dúvidas sobre Central de videmonitoramento

A recente visita feita a Central de Videomonitoramento de Araraquara levantou uma série de dúvidas sobre o funcionamento do espaço e da utilização das 25 câmeras. Por isso, a vereadora Juliana Damus (PP) e mais uma comissão de vereadores listou 18 questionamentos a serem respondidos pela Prefeitura. O requerimento com perguntas sobre o modelo adotado e equipamentos comprados foi aprovado na Sessão Ordinária desta terça-feira, dia 18.
“É competência do Poder Legislativo fiscalizar e controlar a administração direta e indireta, além de solicitar informações ao prefeito sobre assuntos referentes à administração”, diz Juliana no requerimento assinado também pelos parlamentares Édio Lopes (PT), Donizete Simioni (PT), Toninho do Mel (PT), João Farias (PRB) e Dr. Lapena (PSDB).
O grupo de vereadores tem dúvidas principalmente pelos valores pagos para a implantação da Central de Videomonitoramento, além das denúncias sobre a queima do servidor utilizado para o armazenamento das imagens com a queda da água do ar-condicionado. A comissão ainda questiona o prejuízo financeiro e a limitação no arquivo das imagens captadas pelas câmeras de segurança de 30 dias para 12 dias.
Na série de perguntas a parlamentar questiona por que não foi empregada tecnologia de fibra ótica na transmissão de dados na Central. Os modelos e especificações dos equipamentos e tempo de reposição das peças também são apontados como dúvidas. “Estamos querendo auxiliar porque uma câmera queimou após uma descarga elétrica, mas não sabemos se a gerência da Central acionou a empresa de fornecimento de energia para assumir o dano, conforme prevê uma resolução normativa da Aneel.”
Assuntos técnicos também entram na pauta como os modelos, configurações e especificações dos servidores (em funcionamento e queimado) e o valor desse prejuízo. O requerimento exige, ainda, dados técnicos como a resolução das câmeras e dos monitores utilizados na Central. Para Juliana, é importante a transparência de serviços prestados por terceiros seja na instalação dos equipamentos, compra de produtos ou no treinamento dos guardas municipais encarregados do monitoramento do sigilo das imagens captadas.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade