Selecione a página

Caminhoneiros de Araraquara aderem à paralisação contra o aumento do diesel

José Augusto Chrispim Por volta de 11h, os caminhões, além de outros veículos leves, escoltados por viaturas da Polícia Militar Rodoviária, seguiram pela rodovia SP-310 até a praça de pedágio local, onde o grupo se dispersou. Nas redes sociais os profissionais do setor do transporte se programaram durante a semana para paralisar as rodovias federais […]

Grupo com cerca de 20 caminhões se reuniu e fez carreata pela rodovia Washington Luís

José Augusto Chrispim

Cerca de 20 caminhoneiros de Araraquara se uniram ao movimento nacional da categoria que ocorreu ontem (1º) em todo o país. O grupo se reuniu pela manhã na altura do complexo viário da Sachs, localizado entre as rodovias Washington Luís (SP-310) e Antônio Machado Sant’Anna (SP-255).

Por volta de 11h, os caminhões, além de outros veículos leves, escoltados por viaturas da Polícia Militar Rodoviária, seguiram pela rodovia SP-310 até a praça de pedágio local, onde o grupo se dispersou.

Os caminhões levavam faixas de protesto contra o aumento da alíquota sobre os combustíveis imposta pelo governo federal no último dia 20 de julho. Tocando as buzinas, os motoristas chamavam a atenção de quem passava pela rodovia.

Pelo WhatsApp

Nas redes sociais os profissionais do setor do transporte se programaram durante a semana para paralisar as rodovias federais e estaduais em vários estados brasileiros.

Pelo país

Houve protestos em diversas estradas do país. Os protestos ocorreram desde a noite da segunda-feira (31). Os caminhoneiros barraram o fluxo de caminhões em diversos trechos de rodovias estaduais e municipais. As manifestações foram registradas em São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Mato Grosso, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás e Espírito Santo, de acordo com as Polícias Rodoviárias Federais nos estados.

“Na maior parte das interdições os caminhoneiros em deslocamento são convidados a participar. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) continua monitorando possíveis pontos de bloqueio e em tratativas para que se restabeleça o fluxo nos pontos onde as manifestações ocorrem”, disse a PRF em nota.

São Paulo

O Porto de Santos ficou paralisado ontem (1º) devido à paralisação. Apenas os caminhões que já estavam dentro do porto conseguiram sair, segundo informações do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista (Sindicam). A entidade afirmou que mais de 4 mil caminhoneiros estão parados somente na região.

O trânsito também ficou congestionado na via Anchieta, na chegada a Santos, nessa terça-feira. O diretor do Sindicam, José Cícero Rodrigues Agra, disse que a paralisação seguiria até as 18h, quando a movimentação dos caminhoneiros voltaria aos poucos e deveria ser normalizada até as 6h desta manhã.

Aumento

Para cumprir a meta fiscal de déficit primário, o governo decidiu aumentar tributos sobre combustíveis, com aumento da alíquota do Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

A alíquota passou de R$ 0,3816 para R$ 0,7925 para o litro da gasolina e de R$ 0,2480 para R$ 0,4615 para o diesel nas refinarias. Para o litro do etanol, a alíquota passou de R$ 0,12 para R$ 0,1309 para o produtor. Para o distribuidor, a alíquota, atualmente zerada, aumentou para R$ 0,1964.

O transporte terrestre é o predominante no Brasil e 60% das mercadorias são transportadas por caminhões. Nas cidades, essa porcentagem aumenta para 95%, segundo a Agência Nacional de Transporte de Cargas (ANTC). De acordo com a entidade, o combustível representa 40% do custo de um frete e o aumento geralmente é repassado para o preço do transporte. O aumento do imposto do combustível poderá gerar um aumento de até 4% no preço do frete, segundo estimativa da agência.

Em nota, divulgada no último dia 27, Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) diz que a solução encontrada pelo setor é aumentar o frete em média 5%, passando o aumento do custo para o contratante. A Abcam afirmou que respeitaria a decisão daqueles que optassem pela greve, “entretanto solicita que a manifestação seja feita em casa, com os transportadores deixando de entregar suas cargas, e não bloqueando as rodovias”.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade