Select Page

Cachorros desesperados se perdem devido a fogos



O Presidente da Câmara pretende votar o projeto proibindo fogos logo no início do ano

Cachorros desesperados se perdem devido a fogos

Suze Timpani

Nesse final de ano foi visível o desespero de cachorros pelas ruas, com o barulho ensurdecedor dos rojões. Sem contar a aflição de tutores pedindo ajuda para encontrar seus cães que fugiram devido à agonia por que passam diante dos fogos. Por ter audição muito sensível, pânico e o medo desorientam o animal.
A vereadora Juliana Damus (PP), apresentou projeto na Câmara Municipal de Araraquara, com o objetivo de proibir o manuseio, a utilização, a queima e a soltura de fogos de estampido e de artifícios.
A proposta visa o bem estar de idosos, doentes, bebês, crianças e animais, que sofrem com a prática. Os animais que tem mais sensibilidade auditiva, como cães, gatos e aves sofrem mais com o ruído da queima de fogos, ficando estressados, alguns chegam a sofrer convulsão e ferimentos. E tem também a perturbação de pacientes em hospitais e clínicas, já que o ruído produzido é equivalente ao som de um avião a jato ultrapassando os 125 decibéis, sendo, portanto, muito acima do suportável.

A lei já existe em muitos municípios e para os protetores araraquarenses essa será a luta do ano, caso entre na pauta de votações da Casa de Leis.
Segundo postagem em rede social de Renan L. De Ponte, criador do Grupo Independente de Proteção Animal e ao Meio Ambiente de Araraquara (Gipama) que dizia “Não consigo mensurar a quantidade de pedidos de ajuda, para encontrar animais perdidos por conta dos fogos. O município precisa fazer algo. Irei conversar pessoalmente com o novo presidente da câmara para colocar o projeto em prática o mais breve possível”.

Para Carolina Mattos Galvão advogada e protetora da causa animal o código de posturas do município já autoriza a proibição de fogos e, o que ele permite são exceções como, jogos de futebol, réveillon, festa junina e dia da Padroeira. A ideia é retirar as exceções, afirmou a advogada.
Vale ressaltar que a população terá que estar na linha frente para exigir a aprovação do projeto.

Carolina também criou um abaixo assinado on line que hoje já conta com mais de duas mil assinaturas e diz que nessa época os cachorros se perdem, tem ataques cardíacos e alguns chegam a morrer.
Em contato com Tenente Santana, novo Presidente da Casa de Leis, que já estava trabalhando nessa quarta-feira (2), ele informou a reportagem que é totalmente favorável ao projeto. “Acompanhei o nascimento desse projeto e pretendo coloca-lo em votação o mais rápido possível, inclusive vou conversar com todos os vereadores para que seja aprovado por unanimidade. Em São Paulo a festa foi linda e não houve agressão aos ouvidos dos animais e crianças, sem contar que muitas cidades já colocaram em prática essa lei” – finalizou Santana.

 

Últimos Vídeos

Loading...

Charge do Dia

Publicidade

Publicidade

Arquivos