Select Page

Bate-papo aborda influência das religiões de matrizes africanas na música popular

Evento será realizado hoje noMIS-Araraquara com a pesquisadora do CEFET/RJ, Elisângela de Jesus Santos

A professora e pesquisadora do CEFET/RJ, Elisângela de Jesus SantosHoje (22), às 19 horas, no MIS – Museu da Imagem e do Som Maestro José Tescari, a professora e pesquisadora do CEFET/RJ, Elisângela de Jesus Santos, realiza um bate-papo abordando “A Influência das religiões de matrizes africanas na música popular brasileira”.

O encontro faz parte da programação “Agora é o momento: Mulheres que transformam”, realizado pela Coordenadoria Executiva de Políticas Públicas para Mulheres, ligada à Secretaria Municipal de Planejamento e Participação Popular. O bate-papo desta quinta tem o apoio da Secretaria Municipal da Cultura e Fundart e é gratuito, aberto a todos interessados.

“Influências das religiões de matriz africana na música popular brasileira” parte das reflexões da pesquisadora do campo artístico brasileiro para pensar os entrecruzamentos de saberes litúrgicos na música realizada por compositores negros – em especial mulheres negras, como Leci Brandão, cuja vida perpassa a luta antirracista nas rodas de samba e palcos aos cargos legislativos.

“Entendendo tais influências de matriz afro como conjunto de conhecimentos que iluminam a sonoridade, a poética, a cor/poralidade e o discurso de artistas negras e negros contemporâneos no que toca a construção identitária sob os prismas étnico-racial, de classe social e de gênero, o bate papo é oportunidade para debater a importância da cosmovisão negra afro-brasileira na canção a partir do conceito de ‘escrevivências negras’ forjado pela escritora Conceição Evaristo”, pontua Elisângela.

O debate articula também a produção discográfica de Leci, com audição de discos da cantora que estão no acervo do MIS Araraquara, para mostrar como a força motriz dos saberes litúrgicos de matriz africana nas narrativas poéticas da compositora.

Vale destacar que Elisângela de Jesus Santos é neta de violeiros e estivadores e donas de casa agricultoras e filha de migrantes nordestinos que se tornaram operários no ABC dos anos 1970. Quase tudo o que sabe de música constitui intuição.

Professora da Área de Cultura e Sociedade do Bacharelado em Línguas Estrangeiras aplicadas às Negociações Internacionais (LEANI) e do Programa de Pós-Graduação em Relações Étnico-raciais (PPRER) do CEFET-RJ, campus Maracanã, Elisângela é Pós Doutora pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (2016) e Doutora em Ciências Sociais pela UNESP-FCL Araraquara (2013).

Seus temas de estudo centram-se em: etnografia, catolicismo popular, religiões de matriz africana, narrativas orais mítico-póetico-musicais populares, culturas populares, cultura caipira, etnomusicologia, estudos culturais, decolonialidade.

Ainda, Elisângela é pesquisadora associada ao Centro de Estudos das Culturas e Línguas Africanas e da Diáspora Negra (CLADIN), do Laboratório de Estudos Africanos, Afrobrasileiros e da Diversidade (LEAD) e do Núcleo Negro da Unesp para Pesquisa e Extensão (NUPE).

O MIS – Museu da Imagem e do Som Maestro José Tescari está localizado àRua São Bento, 909, no Centro da cidade (na Casa da Cultura Luís Antonio Martinez Corrêa).

Últimos Vídeos

Loading...

Arquivos