Selecione a página

Audiência Público irá debater Beneficência Portuguesa

Há um ano a imprensa noticiava: “Ontem, após o último paciente receber alta, o hospital Beneficência Portuguesa, fechou as portas. Na parte da tarde, a assessoria emitiu um comunicado: “A Santa Casa de Misericórdia Nossa Senhora de Fátima e a Beneficência Portuguesa de Araraquara comunicam que nesta sexta-feira, 15 de janeiro de 2016, estão suspensas as atividades médicas desenvolvidas pela instituição por motivos de força maior. ”
De lá para cá a situação só se tornou mais crítica. Até hoje os funcionários estão sem receber os seus direitos trabalhistas e um leilão do prédio foi marcado e suspenso pela justiça, mas está previsto para acontecer no próximo dia 10 de fevereiro.
Para debater com todas as autoridades públicas ligadas ao tema e com as forças vivas da cidade para encontrar uma solução para a situação, hoje caótica, o vereador Edio Lopes (PT), a partir de demanda apresentada por diversos movimentos e grupos sociais, está chamando uma Audiência Pública a ser realizada no dia 03 de fevereiro, às 19h, no plenário da Câmara Municipal.
A audiência foi definida em reunião de uma frente composta por diversas entidades e movimentos, que ocorreu na segunda-feira (9), com a participação do Sindsaúde, Conselho da Beneficência, Sinsprev, Afuse, representantes do PSOL, PSTU, esquerda marxista e de muitos estudantes.
O parlamentar, além de buscar debater a questão dos passivos trabalhistas dos ex-funcionários, quer um envolvimento amplo e uma união de forças para discutir publicamente a destinação do prédio do hospital, uma referência arquitetônica protegida pelo Plano Diretor de Araraquara, bem como de seus equipamentos, aparelhos e mobília. “Precisamos juntar as autoridades e um grande grupo de pessoas e movimentos sociais interessados em lutar pelo patrimônio. O direito dos trabalhadores tem que ser preservado, porém, precisamos encontrar também uma solução que não seja vender o prédio”, conclama.
Serão oficiados os seguintes órgãos para comparecerem a Audiência Pública:
Representantes legais da Beneficência Portuguesa, Conselho Deliberativo do hospital, Prefeito Municipal e Secretária de Saúde, Secretaria de Estado da Saúde e Diretoria Regional do Trabalho (DIR III), Ministério Público da Saúde, Ministério Público do Trabalho, Procuradoria do Trabalho, Justiça do Trabalho, deputados estaduais Márcia Lia e Roberto Massafera, Conselho Municipal de Saúde, Sindicatos dos Trabalhadores da Saúde (SIDISAUDE, SINSAUDE e SINSPREV), Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Arquitetônico, Paleontológico, Etnográfico, Arquivístico, Bibliográfico, Artístico, Paisagístico, Cultural e Ambiental do Município e representantes dos ex-funcionários da Beneficência Portuguesa.
Toda a população está convidada a participar para fazer parte dessa luta.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade