Selecione a página

Araraquarense é uma das estudantes que embarca rumo à Rússia para cursar medicina

Jovens de São Paulo viajam dia 2 de maio para a cidade russa de Kursk, com mais dez estudantes de todo o país. Outros dois seguem para Belgorod

A jovem araraquarense Caroline Reis, 20, é uma das estudantes que embarca dia 2 de maio, por meio da Aliança Russa, para cursar Medicina em Kursk, na Rússia.Caroline conta que desde criança sempre desejou conhecer o mundo e que sua primeira opção era veterinária. “A idéia de cursar medicina foi amadurecendo com o tempo”.Ela explica que sempre pesquisou outras faculdades de medicina em outros países, mas ou era difícil de entrar ou muito caro, ou ambas as coisas.Recentemente José, seu pai, que até então era alheio a idéia da filha estudar fora ficou sabendo da Aliança Russa e encorajou a filha a tentar. Ela se inscreveu e passou nos exames.Ela ressalta que perdeu a mãe, Vera, há três anos, mas tem certeza que se a mesma estivesse viva a apoiaria integralmente.Depois dos tramites legais ela está com as malas prontas, mas diz que está ao mesmo tempo feliz e triste. “Estou feliz pois vou realizar um sonho, mas triste, pois vou ficar longe da minha irmã Michele, do meu pai, das minhas amigas e principalmente das minhas cachorras Nina e Belinha”.Quanto á barreira da língua, as aulas serão dadas em inglês. “No dia a dia a gente vai aprendendo”, diz confiante.De acordo com a assessoria de imprensa da Aliança Russa, em Kursk, os catorze alunos passarão por um curso preparatório. Com duração de três meses, eles terão aulas de ciências biológicas em inglês e farão um curso básico de russo.Além de alunos de São Paulo, a Aliança Russa selecionou pessoas do Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Goiás, Paraná, Rondônia e Distrito Federal, para estudar em Kursk; e estudantes de São Paulo, Minas Gerais e Ceará, para a Faculdade Preparatória de Belgorod.Estudo reconhecidoA Aliança Russa é representante oficial das principais universidades russas no Brasil desde 2005. Seu trabalho consiste na seleção dos candidatos, no processo de orientação da faculdade, na obtenção da documentação necessária para permanência legal no país, inscrição na universidade e assessoria durante a viagem até a chegada do estudante ao destino.Ao voltar para o Brasil, o estudante submete o diploma adquirido ao processo de reconhecimento em uma universidade brasileira, um procedimento padrão para qualquer brasileiro que faça graduação em centros de ensino estrangeiros. Desde 2010, o chamado Diploma Único de Estudos Superiores da Europa, do qual a Rússia faz parte, passou a valer conforme o Tratado de Bolonha. Seu objetivo é facilitar a mobilidade dos estudantes e profissionais do ensino superior da Europa. Informações: (11) 3854-2513 / 3854-2514 / 3854-2515.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade