Selecione a página

Araraquara tem balanço semestral do emprego positivo

Apesar da queda do emprego formal no mês de junho, Araraquara ficou com um saldo positivo de 314 novas vagas no balanço do primeiro semestre deste ano, segundo levantamento feito pelo Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomercio). Na comparação com o ano anterior, considerando o acumulado dos setores, o resultado também demonstra uma melhora, […]

Na comparação com o ano anterior, o resultado também demonstra uma melhora

Apesar da queda do emprego formal no mês de junho, Araraquara ficou com um saldo positivo de 314 novas vagas no balanço do primeiro semestre deste ano, segundo levantamento feito pelo Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomercio). Na comparação com o ano anterior, considerando o acumulado dos setores, o resultado também demonstra uma melhora, uma vez que em 2016 os seis primeiros meses do ano levaram a um saldo negativo, com o fechamento de 102 postos formais.

De acordo com a economista do Sincomercio, Délis Magalhães, os setores que apresentaram os melhores resultados no período foram indústria e agropecuária, com saldo de 565 e 448 vagas de emprego formais criadas, respectivamente. “As melhoras recentes em algumas variáveis econômicas, como a queda na taxa básica de juros (Selic) e no câmbio, favoreceram esses setores, que precisam de capital de giro para o investimento e também de uma taxa de câmbio competitiva que favoreça as exportações. No caso da agropecuária, o clima mais estável nesse ano com menores riscos de quebra da produção são essenciais para gerar uma grande oferta de produtos e consequente procura por mão de obra”, afirma.

Já nos setores de comércio e serviços, a situação é mais difícil, pois eles dependem principalmente do consumo interno e, consequentemente, da renda das famílias. “No caso do setor de serviços especificamente, as possibilidades de exportação são mínimas. Por ser um setor intensivo em mão de obra, a própria inflação dos preços de serviços é mais rígida e os preços não caem com as melhoras no ambiente econômico, como acontece com os outros segmentos da economia. Num momento em que o consumidor ainda permanece com o orçamento restrito, essa área acaba sendo uma das principais prejudicadas”, ressalta Délis.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade