Selecione a página

Araraquara soma 784 casos de dengue confirmados neste ano

Prefeitura realiza arrastão contra dengue no Parque São Paulo, e deve se estender sobre toda cidade

Araraquara soma 784 casos de dengue confirmados neste ano

Da redação

A chegada das chuvas e do calor preocupa as autoridades de saúde pública de todo o Brasil por causa do aumento da proliferação do mosquito transmissor da dengue. Com o acúmulo de água e o tempo quente, estes insetos acabam tendo o ambiente favorável a sua multiplicação e os casos de registro de dengue tendem a crescer.

Em diversos cantos do Brasil a doença já chegou forte e faz com que autoridades se mobilizem no seu combate.

Equipes de agentes e três caminhões estarão circulando pelo Parque São Paulo e Altos de Pinheiros durante esta semana para recolher objetos inservíveis que possam se tornar criadouros do mosquito Aedes aegypti.

Durante o arrastão com apoio de reeducandos, os agentes também estão orientando a população para a prevenção da dengue, principalmente para os cuidados com a água parada. Somente com a colaboração da população é possível evitar a proliferação do mosquito transmissor da doença. É fundamental manter a limpeza de quintais, calhas, vasilhas de animais e caixas d’água, e evitar o acúmulo de água na parte inferior traseira das geladeiras, locais comuns de criadouros. Também é preciso recolher copos, garrafas, latas e pneus velhos descartáveis nos quintais de casa, além de verificar vasos de flores, ralos e piscinas, que também acumulam água parada e servem de criadouros do mosquito.

O frentista Waldecir Aparecido Campos acompanhou de perto o trabalho dos agentes de controle de vetores e demais colaboradores, no trecho inicial da Avenida José Smith, no Parque Residencial São Paulo.

“A equipe da Vigilância presta um excelente trabalho de combate à dengue. Nosso bairro está com intenso movimento e a tendência é aumentar a circulação de pessoas com os novos cursos da Fatec”, afirmou.

De acordo com Joice Nogueira Calera, coordenadora executiva de Vigilância em Saúde, os arrastões estão começando pelo Parque São Paulo e Altos de Pinheiros, que são regiões críticas, e depois seguirão para outros bairros da cidade, seguindo um cronograma que será traçado com base no resultado da Avaliação de Densidade Larvária (ADL).

A Avaliação de Densidade Larvária tem como objetivo principal avaliar os níveis de infestação de várias áreas do município de maior importância epidemiológica em cada região. “A partir da ADL nós vamos fazer o cronograma dos próximos arrastões”, explica Joice.

Os trabalhos no Parque São Paulo e Altos de Pinheiros estão sendo realizados das 7 às 12 horas. Como complemento desse trabalho, uma equipe volante passará pelos dois bairros, no próximo dia 26 de novembro, em horário diferenciado, das 12 às 18 horas.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade