Select Page

Araraquara com 4. 771 casos confirmados de dengue



Cidade rompe barreira dos 4 mil casos de dengue, 56 casos confirmados por dia; Medo é de repetir 2015, onde quase 10 mil foram registrados

Araraquara com 4. 771 casos confirmados de dengue

Adriel Manente

Dados oficiais fornecidos pela Prefeitura Municipal, através da Vigilância Epidemiológica, atualizados na manhã dessa segunda-feira (25), dão conta que, até esse momento, Araraquara tem 4. 771 casos confirmados de dengue na cidade. Embora números sejam contestados por parte da população, que acredita ser muito maior que o divulgado, os dados são minunciosamente verificados antes de serem repassados à imprensa. Mesmo assim, as confirmações divulgadas até agora representam uma clara epidemia que assola o município e transforma 2019 em um ano histórico, um dos anos com maior incidência da doença na cidade. Só para efeitos de comparação, se somarmos todos os casos confirmados de dengue das cidades que fazem fronteira com Araraquara, não chega a 15% do total na Morada do Sol. Situação é considerada caótica pela população. O último balanço oficial dava conta de 3.824 casos, há uma semana. Em 7 dias, 947 casos surgiram, 24% do total.

O balanço mostra que desse total, 50 pessoas tiveram início dos sintomas nos últimos dias de 2018; 1.959 em em janeiro; 2.465 em fevereiro e 297 tiveram início de sintomas no mês de março. Estamos no dia 25 de março. Isso quer dizer que, em 84 dias, tivemos esse total de 4.771 casos, isso quer dizer 56 casos por dia na cidade. Só para se ter ideia, no último balanço, a cidade de Matão apresentou 55 casos em 2019.

Há 4 anos, pior epidemia da história
O ano de 2015 foi considerado o pior até hoje em termos de dengue. Naquele ano, a cidade registrou 9.784 casos confirmados da doença. Só no primeiro semestre foram 9.691. Outros 93 casos no segundo semestre, o que mostra que a tendência é o surto dar uma “esfriada” nos meses finais do ano. Porém, como ainda nem finalizamos o mês de março, o perigo é real.

Mortes em 2019
Este ano, das 7 mortes até então em suspeita pela dengue, 4 já foram confirmados. Priscila Jung, Ângela Maria, um idoso de 83 anos que não teve sua identidade divulgada, e Sirlei Daniela Bueno. Há ainda outros 3 casos a serem investigados, onde a confirmação pode vir nos próximos dias.

Linha de frente de combate ao Aedes
O mosquito Aedes Aegypti, que além da dengue é transmissor do zika vírus e da chikungunya, deve ser diariamente combatido. Sabendo disso, a prefeitura tem tomado uma série de medidas, tanto para evitar a proliferação da doença, quanto para atender aos doentes enfermos e também punir as pessoas que mantém criadouros em casa.

Nebulização
Primeira ação da prefeitura. Equipes de agente da vigilância epidemiológica percorrem os bairros da cidade com inseticida para imunizar as casas.

Mutirão
Semanalmente, 20 caminhões da prefeitura são acionados para fazerem limpeza nas residências. Todo o tipo de material é colhido pelos agentes de combate à dengue.

Fumacês
Outra ação são os fumacês. Um carro passa nas ruas jogando grande quantidade de inseticida.

Novos Agentes
Um concurso foi aberto no início do mês passado visando a contratação de 500 novos trabalhadores para a ‘guerra’ contra a dengue.

Drones
Novidade na cidade, os drones estão sendo utilizados para imunizar áreas de difícil acesso. A nova tecnologia foi implementada nesse fim de semana para jogar inseticida no chamado “Cemitério de Vagões”, na Vila Xavier.

Dengários
Hoje a cidade conta com dois polos de atendimento, exclusivo para pacientes com Dengue. Um fica no Centro de Eventos de Araraquara (CEAR), e outo no Centro, na Rua Voluntários da Pátria (5), próximo a Santa Casa. Ele fica aberto todos os dias, inclusive finais de semana e feriados, das 7h às 20h. Além disso, alguns Postos de Saúde estão fazendo horários estendidos para atendimento.

Multas
A Câmara Municipal de Araraquara aprovou, no mês passado, um conjunto de leis que visa endurecer a punição para as pessoas, ou empresas, que mantiverem criadouros do mosquito Aedes Aegypti em suas propriedades. As multas variam de R$ 330 à 22 mil.

Limpeza de Terrenos e Imóveis Abandonados
Quase que diariamente há um esforço da prefeitura em fazer limpeza de terrenos, públicos ou não. Não é difícil ver o prefeito Edinho Silva fazendo lives onde de fato, faz a limpeza de terrenos, inclusive de áreas onde não são de responsabilidade da prefeitura. Dessas ações, as que mais se destacam foi no antigo prédio  da NovaMoto, no Melhado, e no antigo Tropical Shopping, vistos como grandes focos do mosquito.

Denúncias
Por fim, é sempre importante destacar o apoio da população, tanto no combate ao mosquito quanto na questão das denúncias. A população também pode denunciar imóveis abandonados e com possíveis criadouros pelo telefone da Ouvidoria da Vigilância Epidemiológica, no 0800-7740440, ou por meio do WhatsApp da Prefeitura: (16) 99760-1190.

Apoio da População
Estudos apontam que 80% dos criadouros do mosquito estão dentro das casas. Por isso, sem a ajuda da população é impossível vencer a doença. Se cada um fizer a sua parte, o mosquito terá um fim.

Confira Fotos das Ações:

Ações de nebulização têm sido feitas periodicamente na cidade

Mutirões semanalmente

Fumacê

Câmara aprovou endurecimento de combate ao mosquito

Drones são usados

Dengário abre todos os dias

Novos agentes foram contratados

Últimos Vídeos

Loading...

Charge do Dia

Publicidade

Publicidade

Arquivos