Select Page

Acampamento reunirá 300 escoteiros em São Carlos no final de semana



O evento Cultive-se proporcionará interação com a comunidade do Assentamento Santa Helena, valorizando técnicas sustentáveis

Acampamento reunirá 300 escoteiros  em São Carlos no final de semana

Entre 19 e 21 de abril, São Carlos será o ponto de encontro de cerca de 300 jovens do Movimento Escoteiro. A cidade vai sediar o Cultive-se, um acampamento estadual para o Ramo Pioneiro, composto por escoteiros entre 18 e 21 anos. As atividades serão voltadas ao serviço em prol da comunidade e ao desenvolvimento de competências para a vida dos participantes, como trabalho em equipe, liderança, empatia e resolução de problemas.

Com uma equipe de parceiros, os jovens terão oportunidade de adquirir conhecimentos e colocá-los em prática. Eles aprenderão sobre permacultura, agroecologia e Sistema Agroflorestal (SAF) com a Associação Veracidade, especialista nos temas. Também vão desenvolver técnicas de aproximação e relacionamento comunitário com apoio da Enactus, organização focada em empreendedorismo social e composta pela comunidade acadêmica da USP de São Carlos.

Depois das capacitações, realizarão intervenções no Assentamento Santa Helena, a fim de colocar em prática os conhecimentos adquiridos, proporcionando um impacto positivo na comunidade. A equipe organizadora do evento, também composta por jovens entre 18 e 21 anos, identificou junto aos moradores do Assentamento que a principal demanda local é fortalecer os vínculos sociais. Por isso, além de melhorarem o lugar com as técnicas sustentáveis, os participantes do Cultive-se vão restaurar uma escola, um parquinho e um bosque, e construir uma quadra poliesportiva e um reservatório de água para abastecimento. No final, vão conhecer a Ecovila Tibá e trocar experiências com as cerca de 20 famílias que lá vivem.

Gustavo Ribeiro, de 20 anos, é o coordenador geral do acampamento. “Organizar o Cultive-se é uma oportunidade de aprendizado muito grande. Vamos proporcionar uma experiência marcante para os outros jovens participantes e também para a sociedade em São Carlos, acho que vamos deixar um legado”, diz ele. Dentro da proposta educativa do Escotismo para essa faixa etária, o serviço comunitário é visto como uma ferramenta de desenvolvimento pessoal que também contribui para a construção de um mundo melhor.

O Cultive-se é apoiado pelo projeto escoteiro 1000 Hortas – Educação ambiental e alimentação saudável, viabilizado pela Fundação Cargill. As primeiras ações do projeto ocorrerão no evento e se estenderão até o fim de 2020, estimulando que escoteiros e não escoteiros de cidades como São Carlos, Campinas e Sorocaba adotem estilos mais sustentáveis de vida por meio do cultivo de hortas e de uma nova relação com os alimentos e com o meio ambiente.

Escotismo

O Escotismo é um movimento de educação não formal baseado em valores. Está no Brasil há mais de 100 anos e possibilita aos jovens desenvolverem competências para se tornarem cidadãos ativos e criarem mudanças positivas em suas comunidades e no mundo. O programa educativo atende jovens divididos em faixas etárias, também chamadas de Ramos: 6,5 a 10 anos (Ramo Lobinho); 11 a 14 (Ramo Escoteiro); 15 a 17 (Ramo Sênior) e 18 a 21 (Ramo Pioneiro).

O Movimento Escoteiro acredita que, por meio da proatividade e da preocupação com o próximo e com o meio ambiente, é possível formar jovens empenhados em construir um mundo melhor, mais justo e mais fraterno.

É praticado nos 26 estados brasileiros e no distrito federal, totalizando mais de 100 mil escoteiros em todo o país. No estado de São Paulo, o efetivo conta com 28 mil escoteiros.

Últimos Vídeos

Loading...

Charge do Dia

Publicidade

Publicidade

Arquivos