Select Page

Saldo mais que positivo



Quarta edição do Coletivo Brasil, realizada em Portugal, encanta lusitanos e artistas participantes

Saldo mais que positivo

O Coletivo Brasil fechou sua quarta edição no último dia 16 de novembro, em Torres Vedras, em Portugal, com saldo mais que positivo. Em 2018, o evento organizado e com curadoria do araraquarense Lauro Monteiro Filho, abrangeu atividades de exposição, residências e oficinas.
Monteiro trouxe consigo uma excelente experiência neste que é o quinto ano consecutivo do programa em terras lusitanas. Na bagagem do projeto estão as melhores impressões e vivências na área das artes visuais em Torres Vedras.
Treze artistas de vários lugares do Brasil como Curitiba/PR, Paraty/RJ, São Paulo e ABC Paulista, Ribeirão Preto, Franca e Araraquara tiveram suas obras e projetos expostos na cidade portuguesa. Os que puderam estar presentes à abertura da exposição foram unânimes em relação ao cuidado com que tudo foi tratado. “A exposição na Galeria Paços estava impecável”, segundo a fotógrafa carioca radicada em Araraquara, Marilda Suzhá, que recebeu grandes elogios pelo conjunto de suas obras, que culminaram em um convite para uma individual na mesma galeria em 2019.
Para Ivo Indiano, artista de Franca, “a palavra delicadeza é o que resume as minhas atividades neste momento de experimentação, já que é desta forma que os portugueses nos tratam”. Já a artista visual Adriana Amaral, com residência em pesquisa e bolsa temporária no projeto, explica que sua participação no Coletivo Brasil 2018 é uma forma de “estar no mundo, pois é a forma que as pessoas têm de entender o seu trabalho autoral, como pensa e vê a fotografia contemporânea.”
Pedro João Cury, de Paraty, destaca a vivência em Torres Vedras, dentro do projeto, como uma forma de conhecer, reconhecer e se reconhecer, já que no grupo de artistas a convivência foi de grande afetividade, trocas e respeito. “Desta experiência das oficinas que desenvolvi, volto muito enriquecido do ponto de vista cultural e afetivo.”
E o projeto, que mal encerrou a mostra em 2018, já  foi discutido e chancelado pela Vereadora da Cultura, Ana Umbelino, e os técnicos da pasta para 2019. Já começa a ser desenhado com algumas participações garantidas e acontecerá no mesmo período, ou seja, em outubro, dentro do formato de exposição, residências e oficinas. O curador Lauro Monteiro Filho já deu início ao seu trabalho para a próxima edição.

 

Últimos Vídeos

Loading...

Charge do Dia

Publicidade

Arquivos