Select Page

Estação do ser e estar



“A vida é o maior bem oferecido ao ser. A partir dela começa a grande jornada. Essa pode ser de aprendizado ou ser extraordinária”

Estação do ser e estar

da redação

Para o poeta e escritor Almir Neves, uma obra literária na gaveta é sonho não realizado, deve alcançar o seu público. A não ser que seja por opção de seu criador não divulgá-la. “As capas de meus livros são portas abertas, entre sem bater”.
E ele com sua nova obra, ‘Estação do ser e estar – Prosa poética’, editado pela plataforma do Clube de Autores, faz um convite aos leitores para embarcarem nessa poética viagem.
A capa, ilustração e composição são de autoria do próprio autor, que dedica o livro aos anciões que cumpriram as suas missões e fizeram dessa vida: Lar e Escola. Lar construído com suas dores, alegrias e amor. Escola onde pode se ter o acesso ao aprendizado para uma vida melhor de crescimento e maturidade.
A sinopse da obra revela que, pego de surpresa, o personagem viu-se diante do espelho quando ao fazer a barba naquele dia de recuperação de uma cirurgia espantou-se com a aparência, sentindo a chegada da chamada velhice.
Daí resolveu pensar sobre esse tema comum a vida de todos. Fez a primeira prosa de nove versos, depois, outra, de repente estava compondo vários poemas sobre esse instante de choque, e foi mais longe.
Resolveu ampliar para compor o relato a partir de estórias do nascimento, juventude não apenas somente da velhice, descrevendo partes desses sentimentos e vivência em Prosa Poética, fotografando em palavras a condição de vida quando passamos por todos os ciclos.
Hora o olhar se debruça na contemplação da vida ao redor e a do relacionamento que desempenhamos. Hora de forma introspectiva. Outra vez quando se encontra na passagem dos ciclos a que chama de Estação do ser e estar.

Um pouco de Almir Neves
Almir Edson Ferreira Neves (Almir Neves) nasceu, trabalhou e estudou em Catanduva, onde cursou até o 1º ano de Letras na Faculdade de Ciência e Letras de Catanduva. Lá, residiu até 1991 meados de agosto. Após, radicado em Araraquara, trabalha como servidor público. Foi um dos membros fundadores do Grupo “Movimento Poesia de Araraquara” em 1994. Participou do livro ‘Antologia 1998 – Poesias e Contos da Faculdade de Bragança Paulista’, com a poesia ‘Humano’. Divulgou novas poesias no projeto ‘Painel’ da Biblioteca Municipal de Araraquara em 2012. Participou da Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos vol. 97 pela CBJE, em 2012. Participou também em revista da área e em várias antologias nacionais. Agora, divulga suas poesias em antologia no livro ‘Sementes de Palavras’, 2013, editada no Clube de Autores.
Recente como novidade caminha pela região da Literatura Infanto-juvenil com esse livro ‘O sapo de gravata’ e ‘Brincar é uma aventura’. Em 2017, lançou ‘O menino do olho d’água’, pelo Clube de Autores. Tal abertura é novo marco como escritor, trazendo e proporcionando entretenimento e incentivo à leitura.

Últimos Vídeos

Loading...

Charge do Dia

Publicidade

Arquivos