Select Page

Centenário do Samba



Idealizado pelo professor Fábio Carvalho, com a intenção de apresentar a seus alunos um pouco sobre a origem do samba advinda da cultura negra, como auto-afirmação da identidade e, paralelamente, identificar as diferenças rítmicas e as transformações deste gênero musical nasceu o projeto “Samba na Escola”. Mais do que isso, queria mostrar através da vivência […]

Em comemoração ao Centenário do Samba, neste sábado (3) os estudantes da escola Narciso da Silva Cesar fazem uma apresentação no teatro do Sesc Araraquara, às 16 horas,com entrada franca. Intitulada “Eu toco, eu canto, eu danço e me represento”, o show mostra o resultado do trabalho desenvolvido com as crianças ao longo de um ano, com a colaboração de diversos músicos da cidade. Com tradução em Libras, o espetáculo é acessível para todas as pessoas.

Idealizado pelo professor Fábio Carvalho, com a intenção de apresentar a seus alunos um pouco sobre a origem do samba advinda da cultura negra, como auto-afirmação da identidade e, paralelamente, identificar as diferenças rítmicas e as transformações deste gênero musical nasceu o projeto “Samba na Escola”. Mais do que isso, queria mostrar através da vivência musical diária, nas rodas de samba com os colegas na hora do recreio, que no coletivo as ações se fortalecem. Os próprios alunos se organizavam e davam toque no surdo, tan-tan, pandeiro, repique, tamborim e reco-reco, enquanto o professor media esses momentos com o seu banjo, harmonizando o batuque.
De forma descontraída e sem pretensão de formar músicos o projeto valoriza a raiz negra, discutindo sobre a origem e desenvolvimento do samba, símbolo da tradição cultural brasileira, trazendo para o conhecimento dos jovens, grande nomes do samba como Geraldo Filme, Dona Ivone Lara, Silas de Oliveira entre tantos outros baluartes.
Através dos depoimentos dos alunos é possível identificar o incentivo à convivência e verificar que uma simples ação pode fortalecer a cultura do país. E assim, a união fortalecida pela amizade, disciplina, respeito e aprendizado em grupo, mostra que o surdo marca, o pandeiro conduz, o tamborim solfeja, e que cada instrumento e instrumentista precisam um ouvir o que o outro está tocando, para o bem da harmonia entre o canto e a dança, culminando no ato em que todos se representam.

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE ARARAQUARA

Serviço:
Apresentação “Eu toco, eu canto, eu danço e me represento”
Projeto Samba na Escola
Dia: 3/12, sábado
Horário: 16h
Local: Teatro
Classificação: Livre

Grátis

Últimos Vídeos

Loading...

Charge do Dia

Publicidade

Publicidade

Arquivos