Select Page

Livros

Luís Carlos Bedran

Luís Carlos Bedran*

 

“Raptado!” na “Ilha do Tesouro”, onde estava “Robinson Crusoé” após “As
Viagens de Gulliver”, enveredou pela “Legião Estrangeira”, com o “Beau Geste” e o
“Beau Sabreur”.
Com “Winnetou” andou no “Expresso Oriente” e cruzou as “20.000 Léguas
Submarinas”; também deu “A Volta ao Mundo em 80 Dias” e não se recorda se antes
ou depois da “Viagem da Terra à Lua’.
“Jovem Professor”, fez a “Viagem à Roda de meu Quarto” e depois de constatar
os “Paradoxos”, notou que não havia “Nada de Novo no Front Ocidental” e aí então foi
para a “Selva” encontrar “Macunaíma”.
Viajou pelo mundo no “Beagle” e descobriu “A.Origem das Espécies”,
contrariando a “Bíblia” e o “Alcorão”. Enveredou pelos “Diálogos”, surpreendeu-se
com a “Ética a Nicômaco”, até chegar ao “Ser e ao Nada”.
Entrou de “Sursis”, realizou uma série de “Confissões” e viu “O mundo como
Vontade e Representação”. Retomou à “Política”, perdeu “A Vontade de Potência” e
criticou “A Razão Pura”.
Encontrou-se com “Marx e Deus” e perguntou-se porque “Era ou não
Sociólogo” na “Casa Grande e Senzala”. Descobriu as “Raízes do Brasil”, “A Casa e a
Rua”, “O Povo Brasileiro” e teve a “Visão do Paraíso”, das “Elites e da Sociedade”.
Chocou-se com “Os Delitos e as Penas”, viu “A Luta do Direito” e constatou “A
Inutilidade das Leis”. Ao mesmo tempo viu passar “A Cinza das Horas” e a “Ascensão
e a Decadência de Roma”; viu a “Escolha de Sofia”, “A Eclipse de Deus” e fez
“Orações e Meditações”.
Nos seus “Diálogos”, discorreu sobre “O Discurso do Método” e constatou “A
Velhice do Padre Eterno”. Já mais para o “Fim”, em “Nova Polêmica”, encontrou “A
Velhice e a Amizade”. Achou tudo uma “Divina Comédia” e na “Comédia Humana”,
uma “Guerra e Paz” permanente nas “Ligações Perigosas”.
Ouviu “Sermões” na “Nova Floresta” e viu “A Estrela da Vida Inteira” no
“Crepúsculo dos Deuses”, no “Leopardo” e nos “Noivos”. Aí enterrou seu “Coração na
Curva do Rio”, junto com os “Índios do Alto Xingu”, com “Os Bichos”, com “O
Guarani”, com “Ubirajara” e “Iracema”.
Nos “Quatro Gigantes da Alma” e no “Contraponto”, teve medo das “Portas da
Percepção” e do “Céu e Inferno”. Procurou “A Montanha dos Sete Patamares”, “As
Minas do Rei Salomão” e o “Paraíso Perdido” e, apesar da “Perfeição”, da “Angústia” e
das “Vidas Secas”, encontrou a “Pureza”.
Então retornou às “Origens da Vida” e voltou ao “Mundo da Lua”, com a
“Negrinha” nas “Cidades Mortas”. Uma “Miscelânea” só.
“Palavras”.

*Sociólogo

Últimos Vídeos

Loading...

Charge do Dia

Publicidade

Arquivos