Select Page

Ex-chefe da CIA e o vice de Trump vêm ao Brasil cobrar vassalagem!

Emerson Leal

Demonstrando seu autoritarismo e desprezo pelo resto da humanidade, Trump só admite ‘dialogar’ com quem quer que seja impondo condições inaceitáveis. Isso é coerente com a atitude que seu governo tomou relativamente ao Conselho de Direitos Humanos da ONU: retirou-se oficialmente do mesmo com um pretexto ridículo, da mesma forma que abandonou abruptamente acordos multilaterais de interesse das nações do mundo, como o Acordo Climático de Paris, o Pacto Nuclear com o Irã, bem como rifou a Organização Mundial do Comércio e a Unesco.

 

  1. Nikki Haley (embaixadora dos EUA na ONU) e Mike Pence (o vice de Trump) copiam o script de Donald Trump em sua arrogância e autoritarismo: fizeram críticas duras ao Conselho de Direitos Humanos porque o mesmo ‘tolera’ que China, Cuba, Venezuela e República Democrática do Congo sejam membros, já que seriam países “que não respeitam os direitos humanos”; dizem mais: que o Conselho é “hipócrita” por ter um “preconceito crônico” contra Israel.

 

            Isso é uma confissão de que Trump apoia o massacre de palestinos pelo governo terrorista de Estado de Israel. Por outro lado, cumpre lembrar que os EUA comandaram as potências imperialistas que, nas últimas décadas, assassinaram mais de cinco milhões de congoleses para roubar do Congo o coltan – um composto mineral estratégico na fabricação de equipamentos de alta tecnologia, como computadores, smartphones e naves espaciais. Em suma, que moral têm os EUA para cobrar direitos humanos de quem quer que seja, principalmente depois do confinamento – repudiado pelo mundo inteiro &nd ash; de centenas de crianças nos EUA, inclusive 51 do Brasil,num regime de cativeiro denunciado como campo de concentração até pela antiga primeira dama Laura W. Bush”? 

 

  1. Outra questão: o que Mike Pence e Mark Pompeo (o ex-chefe da CIA) vêm fazer no Brasil? Simples: os EUA não só sustentaram, como vêm alimentando o golpe do impeachment que derrubou Dilma, como forma de abrir caminho para o saque de nossas riquezas. Pence se acha também no direito de cobrar do governo ilegítimo de Temer concessões relativamente à Base de Alcântara, por um lado e, por outro, exigir do Brasil que apoie a estratégia de Trump de derrubar o governo legítimo e soberano de Nicolás Maduro já que, pelo voto, seus vassalos venezuelanos não consegu em chegar ao poder.

 

            É esse o principal objetivo de Trump e Pence: apear Maduro do Poder com a colaboração ou, no mínimo, com o apoio moral do Brasil, passando por cima do direito soberano de escolha do povo venezuelano. Ou seja, os EUA vão tentar colocar em prática mais uma vez sua nova estratégia de golpes de Estado, semelhante àquela que derrubou Manuel Zelaia em Honduras, Lugo no Paraguai, Yanukovsky na Ucrânia e tantos outros em “primaveras árabes” que de primavera não tiveram absolutamente nada.

 

  1.  Não é de ações unilaterais promovidas pelo imperialismo norte-americano que o mundo precisa, mas sim de um avanço e de uma modernização do multilateralismo que signifiquem – como preconiza Oscar Sánchez Serra, do blog ‘Resistência’ – “um novo marco de cooperação que, além dos inevitáveis equilíbrios de poder, tenha em conta a diversidade dos desafios atuais e o respeito, de fato, aos direitos humanos” e à soberania dos povos.

 

Emerson Leal – Doutor em Física Atômica e Molecular pela USP de S. Carlos.

Foi  vereador, vice-Prefeito  por dois mandatos consecutivos  na cidade de São Carlos-SP

Últimos Vídeos

Loading...

Arquivos