Selecione a página

Ética, democracia, baladas…?!

Ética, democracia, baladas…?!

José Pedro Renzi
Brincadeiras, alegrias… e quem sabe a convivência humana…o espaço da escola ou da Universidade Pública, sempre foi da biblioteca,sala de aula, atividades do Centro Acadêmico…da vida coletiva ou Universitária ou das necessidades do Restaurante…das festas, baladas, dos encontros do ex-alunos, da formatura da turma, etc…
A Universidade vive do debate de Idéias, da produção do conhecimento, e, portanto dos cursos de graduação e pós-graduação em várias áreas da ciência, entre biomédicas, exatas, humanas ou Ciências Sociais.
Entrincheirada pelo regime militar pós-64, e anulada o seu papel de debater os rumos do Brasil, a Universidade assistiu ao ato institucional numero cinco, entre repressão, tortura e perseguição dos seus lideres do movimento estudantil em 1968…
Anos posteriores, a vida estudantil modificou com os cursinhos vestibulares, a formação da UNESP em 1976, a Unicamp em 1967 e a USP mais velha e tradicional em 1934… Sua antiga e veterana Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras…
As turmas e os alunos mudaram, o comportamento da “mídia” ditou regras, entre baladas, consumo de álcool, drogas, etc… A vida universitária ultrapassou mais de seis milhões de estudantes em todo Brasil. O Brasil viveu entre a sua inserção internacional ou trans-nacional da economia, da ciência, da tecnologia e das “novas” tecnologias da informação, comandadas pela era eletrônica e ou “midiática”… Os meios de comunicação virtuais e reais de “massa”…
O Brasil urbano, industrializado e Universitário se impôs diante de um Brasil atrasado e rural… analfabeto ou semi-analfabeto…!
Neste meio vieram às baladas dos estudantes entre várias Universidades Públicas ou particulares… e neste meio que é preciso que a “formação acadêmica” possa ser exercida com ética, cidadania e democracia.
Que as baladas Universitárias, possam ser feitas com Solidariedade e fraternidade, entre bichos, calouros e estudantes de todos os cursos. Institucionalizar entre Universidades e sociedade, a Balada Solidária ou o Trote Solidário, fraterno ou Civilizado!
E que a Reitorias das Universidades, possam respeitar os muros, fora dos Muros Universitários e as baladas com diálogo com os estudantes. Único caminho para a democracia Participativa, a ética e a vida livre.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade